• BLOG ENTRETANTO •

RENATO ZUPO

RENATO ZUPO

Magistrado • Escritor • Palestrante

NOSSAS REDES SOCIAIS

mkdbcsk8ceoj1ulegohm

Dengues e Zikas

ENTRETANTO

A solução para deter o Aedes Aegypti tem só um nome: dinheiro. Não dá mais para confiar na mudança de mentalidade da população, em uma educação sanitária ou maior engajamento da rede pública de saúde, etc… Enquanto isso o mosquito está matando, crianças, idosos, gestantes, até homens feitos. Oswaldo Cruz, famoso epidemiologista brasileiro, quando combateu a febre amarela, a dizimou. Criou a campanha de vacinação obrigatória e os agentes de saúde que visitavam as casas em busca de focos dos transmissores da doença, que eram… nossos velhos inimigos mosquitinhos, os Aedes. Daquela vez foram contidos. Em 1950 voltaram paulatinamente ao país por meio da navegação mercantil, e se deixou que propagasse, porque afinal \”só\” poderiam transmitir a febre amarela e naquele tempo, como hoje, já existia vacina para essa doença. Só que o mosquito é vagabundo e transmite de tudo, inclusive dengue, zika, etc… Meu amigo médico formou-se nos idos de 1970 e me disse que não se estudava a dengue à época, segundo seus professores porque era uma doença extinta. Mas ressurgiu, e só com muito dinheiro para exterminá-la, talvez agora facilmente garimpado no exterior, porque o Brasil se tornou foco mundial da doença e este ano haverá olimpíada. Por experiência própria, sei que basta otimizar investimentos. Estive em um resort beira mar na Bahia em dezembro, e todo dia tinha um carrinho borrifando fumacê ao redor do hotel epor volta das cinco da tarde. O local não registra um caso de dengue há anos e pela primeira vez na minha vida vi uma praia brasileira, e seus arredores, sem sequer um mosquitinho ou pernilongo pra contar  história. Monitorar casas e lixos é útil, mas o negócio é fumacê! E criar vacina logo. Pra isso o governo vai precisar de dinheiro vindo de fora.

Ainda sobre a dengue.
Quando precisei interferir no combate à doença, como juiz que sou, obriguei-me a estudar o assunto. Claro que não sou epidemiologista, cientista ou médico, mas descobri sobre a dengue algumas peculiaridades que, acredito, sejam até hoje do desconhecimento da imensa maioria da população leiga brasileira. Isto apesar das campanhas de conscientização do poder público, que gastam borbotões de dinheiro nosso. Pra início de conversa, toda dengue mata e toda dengue cura, dependendo do paciente. Dengue bem combatida em paciente forte é cura certa e rápida. Não tem essa de \”pode matar\”, apesar de incomodar bastante e do sofrimento que causa por alguns dias. E quem é o \”paciente forte\”? O sujeito bem alimentado e sem doenças outras pré-existentes, que pratique atividades físicas e seja um adulto jovem. Ao contrário, o paciente \”fraco\” é a criança, o idoso, a grávida,  e o sujeito que a medicina chama de \”imunodeprimido\”: o alcoólatra, o soropositivo, o drogadito, o diabético no auge da diabetes, o hemofílico, dentre outros exemplos. É a pessoa que tem uma resposta imunológica lenta na contenção do vírus. Aqui a dengue pode matar, e muitas vezes mata. E não existe um outro vírus mais grave, \”hemorrágico\”, com maior propensão a matar. A dengue hemorrágica surge da dengue \”normal\”, mal tratada ou mal curada, ou de nova contaminação em período curto de tempo. Não que seja a regra, porque o paciente pode ser contaminado pelo vírus uma, duas, três vezes, e não adquirir a dengue hemorrágica. Tampouco cria imunidade para a doença, que é transmitida por um vírus mutante como o da gripe. O Aedes, como já dito, é o principal vetor, mas não é o único. O ser humano contaminado, por exemplo, pode transmitir o vírus – se um mosquito picá-lo e, depois, picar outra pessoa saudável. Você sabia disso?

O.J.Simpson.
Como as séries americanas de TV melhoraram! Estão mais proeminentes que os filmes de Hollywood, e muito bem feitas e produzidas. Atualmente, a estréia do seriado \”O J Simpson\” parou os EUA, por se tratar de um docudrama de crime recente e polêmico. Para quem não sabe, O.J. era astro do futebol americano, milionário, e iniciava uma carreira de sucesso como ator de cinema. Lembra do seriado \”Corra que a polícia vem aí\”? Aquele policial negro parceiro do comediante principal? É ele. Participou de outros filmes também, e quando subia ao estrelato foi acusado de matar a esposa louríssima e infidelíssima e o amante. Não havia mais ninguém com interesse na morte dos dois, OJ sabia da traição e tinha um histórico de violência doméstica com a finada, mas foi absolvido pelos jurados de seu caso, por falta de provas. Impressionou, na época, que não se encontrasse a arma utilizada no duplo homicídio, por lá imprescindível para a condenação, e que a luva utilizada pelo atirador e encontrada na cena do crime fosse pequena e não entrasse nas mãos enormes do ex-jogador de futebol americano. Em tempo: O.J, depois de sua absolvição, \”quebrou\” e parou de fazer filmes. Hoje cumpre pena por crime de roubo e está preso.

 

Renato Zupo,
Magistrado e Escritor

Gostou? Então compartilhe.

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Compartilhe essa página.

Share on whatsapp
Share on email
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Copyright © RENATO ZUPO 2014 / 2021 - Todos os direitos reservados.

Desenvolvido pela: